sábado, 6 de fevereiro de 2010

Salto da Fortuna - Morretes-PR


Saída as 7:00 h da manhã de sábado para uma caminhada na semana mais quente do verão 2010. O Heron havia organizado um passeio para o Salto da Fortuna, via caminho do Anhaia. A caminhada seria fácil ,se fosse só o percurso à partir do posto do IAP, ou seja 2 km. E a pouca noite anterior dormida que valeu a pena, depois de uma festa de dança de salão, que nas últimas horas quase não me deixou ir embora.
Mas para não ser tão fácil começamos a caminhar uns 12 km antes, as 9:30 h da manhã. Chapéu, óculos, protetor solar e roupas apropriadas e muita água e segue em frente. Ao meio-dia chegamos no posto do IAP para então subir um trecho de 2 km onde estão os oleodutos da Petrobrás. Junto a uma válvula do oleoduto, vespas. Eu passei desapercebido, mas a amiga Marcia que vinha atrás teve a recepção dolorida.
Um pouco mais a frente uma trilha a direita do que seria o Caminho do Arraial.
Atravessa um rio, molha, outros córregos, molha nem tanto, outro rio e estávamos na última parte num desnível de quase 300 m. E chegamos ao salto, belo, nos seus 50 m de altura e caudaloso depois de uma temporada de chuvas.
A água a principio fria, mas aos pouco acostumamos, e só com aquele dia de sol, para aproveitá-la bem. Atravessa o poço que ali se forma até próximo a queda e tenta parar lá com pouco apoio.
Uma hora de cachoeira e voltamos para até onde estava o veículo, próximo ao IAP (portão da Petrobrás), trocar de roupa  e  retornar. Estava tão quente que vestindo outra roupa, depois de se secar, eu estava pingando ou suando a cântaros. Depois a saída para o centro de Morretes para o almoço com  barreado no Restaurante Estação, próximo a praça da estação ferroviária. Mais ou menos assim, toda caloria gasta na caminhada foi reposta em dobro ou triplo. Às 17:30 h estávamos de volta no caminho para casa.
E assim foi um dia de passeio, na boa organização do Heron, num dos finais de semana mais quentes desse começo de ano. Tinha que ser numa Fortuna de natureza.

Notas: O Caminho do Anhaia é parte do caminho do Arraial, uma antiga ligação do litoral com a cidade Curitiba, que a BR-277 suplantou. No percurso existem alambiques de cachaça morretiana.  Melhores detalhes históricos podem ser vistos no livro Caminhos das Comarcas de Curitiba e Paranaguá, Julio Estrella Moreira, 1975 - Editora da Imprensa Oficial, na Biblioteca Pública do Paraná, além de outros bem famosos. 
Uma estrada apreciada pelos ciclistas de mountain bike um tanto audaciosos, sujeitos a esfolamentos, devido a inclinação de descida e pedras soltas, a partir da BR-277.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...